23.9 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, dezembro 2, 2021

Os tipos de relacionamentos amorosos.

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Saiba como identificá-los.

Sabemos que falar sobre relacionamentos amorosos não é nada fácil, e nem sempre tudo são flores, pois existem diversas particularidades sobre o tema que de fato demandam maturidade pessoal e inteligência emocional. Como por exemplo, as dinâmicas de relações disfuncionais, onde temos os relacionamentos abusivos e os relacionamentos tóxicos que podem contribuir de forma significativa para o abalo da nossa saúde emocional. Mas em contrapartida também existem os relacionamentos que conseguem seguir com assertividade e com funcionalidade, onde o principal protagonista deste contexto deve ser sempre o diálogo.

relacionamentos-amorosos

Relacionamentos Abusivos

Estão enquadrados na lista de relacionamentos que chamamos de disfuncionais, porque não funcionam de forma saudável, ou seja, não contribuem para o bem estar físico e emocional das pessoas envolvidas. São caracterizados assim por que neles existem a presença do medo, da manipulação, a redução da autoestima e privação de vida.

Nessa dinâmica sempre um destes tipos de violência estarão presentes, como a doméstica, patrimonial, moral, sexual, física e psicológica. O agressor sempre vai acuar a vítima, com intimidações, ameaças, agressões físicas e verbais. Esse tipo de relacionamento é disfuncional, pois apenas um dos parceiros se satisfaz, enquanto o outro vive pisando em ovos e passa a maior do tempo com medo.

Como identificar se você está em uma relação abusiva?

Não é amor, se o seu parceiro quebrou o seu celular por ciúmes. Não é amor, se em todas as vezes você deixar de usar algum tipo de roupa mais curta ou com uma cor mais chamativa porque ele não se agradou. Não é amor, se você deixar de cortar o seu cabelo, porque ele gosta dele sempre comprido. Se você deixar de ver os seus amigos, porque seu parceiro não gosta, não é amor. É cilada e você está em um relacionamento abusivo.

Como sair de uma relação abusiva?

Não é fácil sair deste tipo de relacionamento, algumas pessoas não conseguem, muitas vezes por medo de vingança. Esta decisão demanda questões muito sérias, como a denúncia do abusador a polícia, uma vez que diversos tipos de agressões acontecem e roubam a autonomia da mulher, mas nem sempre ela está pronta para tal atitude uma vez que o envolvimento emocional e o medo do abusador são desesperadores.

É de extrema importância que esta mulher receba auxílio de um Psicólogo e se submeta a sessões de psicoterapia para conseguir lidar com as sequelas deste tipo de abuso, orientação prévia e anônima com completa descrição, que podem ser feitas através de apenas uma ligação para o Disk 180 – Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, onde existe uma equipe preparada para conduzir casos de abuso na relação e violência doméstica.

relação abusiva?

Relacionamentos Tóxicos

São aqueles relacionamentos onde ambos os parceiros possuem comportamentos destrutivos, cercados por ameaças de término da relação, críticas infundadas, ou seja, a “violência acontece por parte de ambos”, os dois são tóxicos e é difícil o entendimento entre os pares. Nessa relação não existem agressões físicas, mas podem existir agressões verbais.

Nesta dinâmica, o desejo de controlar o parceiro e estar sempre atento aos seus passos, tendo a vida voltada diretamente para ele, pode ser nocivo causando brigas e desentendimentos frequentes, o que tende a deixar a relação cansativa, levando um dos parceiros a optar pelo fim da relação.

Como saber se você está em um relacionamento tóxico?

Se o ciúme, a baixa autoestima, as brigas em excesso, a baixa na libido e a perda de identidade a ponto de você fazer coisas que agridam os seus princípios, você está em um relacionamento tóxico.

Diferente da relação abusiva, se nesta dinâmica um parceiro quebrar o celular do outro por ciúmes ou desconfiança, este outro não ficará por baixo e poderá rebater o comportamento do parceiro, por vezes com a mesma atitude de também quebrar o celular ou algum outro bem com valor monetário ou sentimental.

Como sair desta relação tóxica?

Sempre opte pelo seu bem estar físico e emocional, se esta relação não faz mais sentido para você e causa mais dor do que momentos alegres e descontraídos, avalie se de fato é necessário estar dentro deste relacionamento. Tenha sempre diálogo com o seu parceiro, conversem sobre atitudes que ambos têm que incomodam e causam o sofrimento mútuo. Ninguém é obrigado a estar onde não é feliz.

bem-estar-fisico-e-emocional

Relacionamentos funcionais

Como o próprio nome já diz, é o relacionamento que funciona. Jamais será o modelo de relacionamento perfeito, até porque sua composição é de duas pessoas imperfeitas, mas que juntas erram, assumem os seus erros e buscam pela assertividade na relação. O diálogo é fundamental para manter qualquer relacionamento, ouvir e fazer-se ouvido, despertar o melhor no outro, mesmo tendo ideias e pensamentos diferenciados é forma mais bela e sensível de demonstrar o amor.

Ouça o nosso Podcast

Leia também

- Advertisement -spot_img
Suellen Miguel Diogo
Suellen Miguel Diogo
Suellen Miguel Diogo, Psicóloga graduada pela UNESA – Universidade Estácio de Sá. Integrante do NEPS – Núcleo de Estudos e Pesquisas em Suicídio pela UNESA. Coautora do livro Ressignificar: Desafios e Possibilidades para a Construção de uma Nova História - AG Publicações. Voluntária na campanha Janeiro Branco desde 2019, atuante como Psicóloga clínica e organizacional na Atual Nova Clin.
POSTES RECENTES
recomendados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Aviso Importante: o Site IDASRJ não retém nem uma informação pessoal ou dados financeiros de seus doadores, portanto fique tranquilo para realizar sua doação de forma segura
CNPJ: 0.465.055/0001-91